18 de jan de 2011

Drácula: O Morto Vivo

Eu sou super suspeita quando se trata de livros sobre Drácula.
Já li o original de Bram Stocker, li O Historiador de Elizabeth Kostova e outros livrinhos figuração. Fora os atuais livros sobre vampiros que desconstroem e constroem novamente o que sabemos sobre vampiros e criam monstros bonzinhos ou gostosos (ah, Damon!!!).

Este livro da Ediouro é uma continuação de Drácula de Bram Stoker, escrito por seu sobrinho-bisneto Dacre Stoker e Ian Holt, um pesquisador e roteirista que sabe tudo sobre Drácula.

A história inicia 25 anos depois do final de Drácula e traz de volta alguns personagens de Stoker como: Dr. Seward (aquele do manicômio), Mina e Jonathan Harker (o casal que nunca me convenceu muito, ainda acho que Drácula era melhor par dela), Arthur Holmwood (um dos apaixonados de Lucy), Van Helsing (nem preciso apresentar este) e Quincey Harker, filho de Mina e Jonathan, que é o nosso "herói".

Os personagens desta história, mesmo 25 anos depois de Drácula ter morrido, vivem com medo, uma vida fracassada e auto-destrutiva. Dr. Seward perdeu seu sanatório e é viciado em morfina. Ainda segue possíveis vampiros e aparenta loucura e insanidade. Mina e Jonathan vivem um casamento fracassado. Jonathan não perdoou Mina por tê-lo traído com Drácula, e agora afoga suas mágoas na bebida. Enquanto Mina vive uma vida de tentativa de redenção. Holmwood agora é um lorde, tem um casamento fracassado também (assim como Dr. Seward ainda pensa em Lucy) e esconde-se do seu passado. Van Helsing está velho e acabado, quase morto, literalmente. E Quincey (nome dado em homenagem ao texano Quincey Morris, outro apaixonado de Lucy) é um jovem revoltado, que gostaria de ser ator e briga com seu pai que quer torná-lo advogado.

Um novo perigo, um mal ainda mais hediondo, com indícios de que o velho mal (Drácula) não morreu reúne os destinos dos nossos personagens mais uma vez. Uma condessa vampira cruel (e lésbica) dá sequência a séculos de violência e maldade. Mas o que na verdade está acontecendo???

A história é ágil, com muitos personagens e muitos acontecimentos, mas de fácil acompanhamento. Através dos fatos atuais consegue-se reviver antigos momentos do livro original. E, através do próprio Bram Stoker como personagem consegue-se acompanhar os últimos momentos do autor de Drácula, escrevendo uma história que teria lhe sido contada por um dos personagens que a viveram.

Cheio de detalhes que relembram a obra original é um livro para se tornar um clássico.Eu realmente escolhi até agora só ótimos livros para ler em 2011. Recomendo!

Um comentário:

Aline disse...

Oii, participo do desafio Literário tb.Passei para conhecer seu blog! Adorei, já estou seguindo!
Se quiser conhecer o meu também:
http://alinenerd.blogspot.com/