20 de mar de 2011

Gritos do Passado - Camilla Läckberg

Gritos do Passado
Camilla Läckberg

Em uma manhã de verão, um garoto sai para brincar na praia. Porém, suas brincadeiras são interrompidas de maneira abrupta quando ele encontra o cadáver de uma jovem nua. A polícia é chamada à cena e não demora muito para concluir que a mulher fora assassinada. O mistério aumenta quando os policiais descobrem que embaixo do corpo da mulher foram colocados esqueletos de outras duas jovens dadas como desaparecidas desde o final dos anos 1970.

Para juntar as peças desse quebra-cabeça, o policial Patrik Hedström é designado como chefe da investigação, o que o obriga a abandonar suas férias e sua esposa, Erica Falck, grávida de seu primeiro filho. 
 Erica, porém, não consegue ficar sem se envolver e decide ajudar Patrik pesquisando informações na biblioteca local. A partir daí, novas revelações começam a dar forma à investigação: os esqueletos podem ser de duas jovens desaparecidas há mais de vinte anos. Descobertas que trazem à tona antigos conflitos da família Hult, cujo patriarca, o pastor protestante Ephraim, mobilizava multidões de fiéis em seus cultos acompanhado dos dois filhos, Gabriel e Johannes, dotados de poderes de cura. Na época, um misterioso suicídio, ligado ao desaparecimento de uma das jovens, dividiu a família em duas ramificações que agora, diante das novas descobertas, terão de lidar com feridas antigas que ainda sangram. 

Eu sou fã de romances policiais. Quando tem suspense, mistério e uma trama de assassinato bem trançada eu gosto ainda mais. Camilla Läckberg consegue tudo isto nesta história.

Enquanto acompanhamos Patrik Hendström, o policial que estava em férias responsável pelas investigações do assassinato descoberto na pequena cidade de Fjällbacka, uma cidade portuária da Suécia, a autora faz pequenos flashbacks para mostrar o que acontecia em 1979 com as garotas desaparecidas na mesma cidade.

As investigações no passado e agora no presente apontam para a família Hult, cujo patriarca era um Pregador fajuto que usava os dois filhos para mobilizar fiéis. Um dos filhos suicidou-se depois de ser acusado de ter sumido com as jovens em 1979 e sua família se desestruturou: mulher e filhos. O outro é o filho menos carismático que tem mulher e dois filhos: Jacob e Linda.

Jacob é o rapaz perfeito, casado, com dois filhos, cristão e voluntário no auxílio de pessoas necessitadas. Linda é a filha rebelde e revoltada, que namora escondido em dos primos Johann. Robert e Johann são filhos de Johannes, o suicida, e são homens envolvidos em problemas, roubos e falcatruas.

A família é cheia de segredos e enquanto a autora os vai desvendando aos poucos, acompanhamos também a mulher do policial Erica, grávida de 8 meses, sem o marido em casa (que está nas investigações), recebendo muitos “amigos” e parentes que vem abusar da sua hospitalidade e do clima quente que faz na cidade turística. Nem só do mistério é a história. E Camilla Läckberg consegue ir e vir muito bem nas histórias que se entrelaçam.

Eu não consegui parar de ler porque eu sabia quem era o assassino (imaginava até a história das duas moças em 1979), mas surgiam novas evidências a toda hora e eu ficava me perguntando o tempo todo, será outro????

Adianto que tem vários pequenos suspenses e todos são resolvidos bemmmmmm no finzinho....

Anotei o nome da autora, porque são difíceis de se encontrar bons romances policiais e ela conseguiu me prender. Jovem e com talento!!! Vamos ficar de olho nela...

Ela tem mais um livro publicado no Brasil também pela Editora Planeta: A Princesa de Gelo. Onde Erica (a grávida deste livro) é a personagem principal. 

http://www.editoraplaneta.com.br/img/general/spacer.gifCamilla Läckberg nasceu em 1974, em Fjällbacka, Suécia. Antes de se tornar uma das mais conhecidas escritoras de romances policiais do mundo trabalhou, por vários anos, como produtora e diretora de marketing.

Esta resenha é mais uma parceria do blog Um Livro no Chá das Cinco com a Editora Planeta. Recebi o livro na sexta dia 18-03 e devorei em menos de dois dias. Muito bom mesmo!!! De muita qualidade. Recomendo aos que adoram um bom policial.

Um comentário:

Palavras Vagabundas disse...

Médeia, adoro um policial bem escrito, vou correndo atrás desse.
abs
Jussara