21 de fev de 2011

Desastre

Regra Nº1: Não se envolva com humanos. Num mundo onde os sentimentos, caminhos e valores dos seres humanos são comandados por entidades superiores, o destino pode ser traiçoeiro. Conheça Fado, um imortal que designa sinas aos homens, mora num apartamento de luxo em Nova York e veste uma atraente roupa humana. Solidário com seus clientes e apaixonado por uma vizinha, passa a burlar suas tarefas, alterar destinos e bagunçar as coisas no reino dos Céus. Com um texto leve, hilário e muito atual, Desastre vai fazer você repensar suas escolhas, acreditar no poder do amor, e descobrir que até a Morte não é assim tão má pessoa.

Eu fui atraída pela capa, confesso, mas quando li o texto acima publicado como sinopse do livro, eu fiquei com desejos literários. Parecia ser engraçado, leve e de fácil leitura.

Enquanto eu esperava chegar o livro li uma resenha que negativou o final do livro. A pessoa disse que gostou do livro, mas que odiou o final. E eu fiquei mais curiosa ainda.

S.G.Browne, o autor, conta a história de Fado, um imortal que é responsável por atribuir a sina de 83% da população e acompanhá-los em suas escolhas que, quase sempre, alteram sua sina para pior. Ele não pode interferir. Os outros 17% da população estão na trilha de Destino, uma imortal puta vadia que parece uma ninfomaníaca, se veste sempre com roupas extremamente sensuais, curtas e vermelhas e que cuida dos humanos destinados a serem grandes de alguma forma (que ironia).

Muitos outros imortais, em “vestimentas” humanas, surgem durante a história: Preguiça, Gula, Sabedoria, Verdade, Confiança, Carma, Morte, só para citar alguns.

Morte é amigo antigo de Fado, mas eles estão há 500 anos sem se falar. E Fado está numa fase meio deprê, sem vontade de realizar seu trabalho, sem perspectivas.

Então, ele conhece Sara, uma humana que está na trilha de Destino (Fado consegue perceber, pois ele não pode ver o destino destas pessoas) e se sente atraído por ela. As mudanças que vai sofrendo por conta desta paixão o fazem interferir nas sinas de seus clientes, tentando ajudá-los. Com energia renovada tudo estaria bem se não fosse Jerry e suas regras.

Jerry? Pelo amor de Jerry! Jerry é Deus. Um Deus tecnológico, que manda e-mails sobre desastres e comunicados e que é onipresente, mas nem tanto. Afinal, são muitos imortais para controlar e muitos seres humanos. Mas ajudar seus seres humanos e quebrar as regras de Jerry pode fazer Fado perder seu emprego, sua existência, seus poderes e seu amor.

Com um humor sarcástico e instigante, que critica a sociedade consumista atual, você acompanha este romance sobrenatural não convencional e que tem um final surpreendente. Eu adorei o final, porque o livro não é um livro comum, não poderia ter um final tradicional e melosinho.

Não leiam a última página nem mesmo sem querer, porque senão perde a graça.

Nenhum comentário: