10 de fev de 2011

DL 2011 - Um Otimista Incorrigível

Um Otimista Incorrigível
Michael J. Fox

“Como a Doença de Parkinson fez o astro de Hollywood reinventar sua vida.”
Virando-me totalmente para o espelho, considero o que estou vendo. Essa versão refletida de mim, molhada, tremendo, enrugada, embaraçada e um pouco curvada seria alarmante, não fosse pela expressão de satisfação estampada em meu rosto. Eu me faria a pergunta óbvia:”do que você está rindo?”, mas já sei a resposta: “a partir de agora o dia só melhora”.

Assim começa um dia de Michael, o garoto De Volta para o Futuro, queridinho da década de 80, que descobriu aos 30 anos estar sofrendo da Doença de Parkinson. Os primeiros anos com Parkinson, de negação e sofrimento, ele contou no livro Lucky Man (Homem de Sorte). Agora em “Um Otimista Incorrigível”, Michael fala de trabalho, política, fé e família.
Com uma literatura leve, engraçada e muito fácil de ler, ele conta primeiramente sobre quando decidiu abandonar o mundo dos bastidores de Spin City (seriado de sucesso que ele fez por 7 anos). Durante três anos, em Spin City, Michael atuou cheio de remédios e com muita concentração, para não deixar transparecer os sintomas de Parkinson nas filmagens. Ele diz que foi extenuante e percebeu que não tinha mais condições de estar diariamente dentro de um set de filmagens.
Então inicia sua fase política. Ele passa a contar sobre a criação de sua fundação para o estudo e auxílio na Doença de Parkinson, seu envolvimento político na defesa do estudo e aplicação de células-tronco embrionárias e as malandragens políticas (e televisivas) do poder político americano.
Para quem não sabe, Michael é canadense e naturalizou-se americano na década de 90, depois do Parkinson e justamente para poder lutar pelos direitos dos doentes que, como ele, necessitam das pesquisas com células-tronco. E mesmo com as discussões morais e religiosas do governo Bush que atrasou estas pesquisas, Michael nunca desistiu de continuar a sua jornada. Contou com o apoio e a amizade de Christopher Reeve que infelizmente morreu antes de conseguir ver a política americana mudar.
Michael fala também de sua família. Sua mãe e seus irmãos, a morte de sua irmã, o nascimento de seus quatro filhos, mas principalmente de sua mulher Tracy. Tracy é o grande apoio e sustento familiar de Michael. Uma mulher de coragem e fibra, atriz também (contracenou com ele em Caras e Caretas), que descobriu o Parkinson do marido no início de seu casamento, mas nunca esmoreceu. Sem se desesperar ela está ali, sempre pronta a dar a palavra que ele precisa no momento, seja de amor ou apenas um tranco para ele ir adiante.
Ele fala também da fé, que nunca foi vivida religiosamente em sua vida, mas que está presente sempre. Seja no seu casamento com uma judia, ou no Bar Mitzvah do filho, ou apenas em viver a vida dia a dia.
Michael J. Fox conseguiu neste livro imprimir um tom otimista (como diz o nome do livro) e mostrar que com trabalho, política, fé e família um homem consegue viver feliz independente da sua condição física (financeira, moral, religiosa, etc) e com muito bom humor.
Já era fã de Marty McFly e agora sou fã da pessoa Michael J. Fox.
Recomendo a história, principalmente se houver casos de doenças debilitantes na família ou com amigos.

8 comentários:

Palavras Vagabundas disse...

Amei sua resenha!
Me deixou com água na boca para ler a biobrafia de Michel J. Fox.
abs
Jussara

Gabi Alkmin disse...

Ótima resenha! A história parece ser muito interessante! :)

Beijos!

Vivi disse...

Medéia, fiquei com vontade ler agora. Certas pessoas são uma espécie de passaporte para o passado, né? Gostava muito desse ator na minha época de adolescente.

Beijocas

Izabela disse...

Amei a resenha e foi uma boa escolha para o desafio, parece mesmo ser uma leitura interessante.

Seu blog é lindo!

Bjs, Iza :)

Caderno de Resenhas

Kycia disse...

Sempre gostei desse ator, principalmente por causa daquela série de filmes "De volta para o futuro". ´
Olha, realmente essa foi uma ótima escolha.
A dica foi anotadíssima!!
Parabéns pela resenha e bjos!!

lyani disse...

Medéia!
Ótima resenha, eu gosto bastante desse ator!
Abraço,
Ly

Mi Müller disse...

Não tinha me interessado por esta biografia, agora com sua resenha fiquei com tanto vontade de ler hehehehehe... meu avô teve parkinson e é uma doença cruel, deve ser acalentador ler sobre alguém que vem lutando tanto por pesquisas nessa área.
estrelinhas coloridas...

Kézia Lôbo disse...

Já era super fã, se eu ler esse livro vou ter certeza que serei muit mais.... Adorei, vou anotar a dica!